terça-feira, abril 08, 2008

Enquanto te espero!

Você que quanto mais perto é tão distante...
Tão longe é sempre mais próximo...
Perto dos meus sentimentos,
Das minhas verdades ou talvez ilusões.
Pensamentos e peles...
Pele só e pensamentos tumultuados
Fogosos
Você aqui dentro nas horas em que me deito
Tão distante
Tem me feito companhia...
Me tens culpada e ainda assim ávida
Você,
espero sempre por mais tempo
E no passar das horas,
Acalenta – me o sono e o cansaço
E quem sabe, traga-te pra perto de mim
Ao menos nas madrugadas adentro,
Onde meus desejos podem se fazer verdade
Desprotegidas vontades
Despretensiosos sentimentos
Toques suaves
Olhares intensos (e quase assustados)
Livres de qualquer vigia...
Apenas dentro de mim
Onde no momento ninguém mais tem permissão pra entrar;
Só você!

Um comentário:

NETOGABIRU, O EREMITA disse...

até que enfim, voltaste aos teus textos..
bjz