segunda-feira, abril 24, 2006

Sem memória, quem dera

Quero mais um beijo seu, dessa vez frio e seco, gelado;
Só pra convencer que não há o que esperar.
Quero quase um tapa na cara
pra tirar da memória o seu rosto brincalhão,
(como se já não tivessem sido dados tantos tapas).
Borracha no som da sua risada
Quase soluçado com monossílabas se afirmando (né?)
Caretas eternas
que ficaram intrínsecas nos olhos cerrados
As vezes dói mais e quero paz
Na verdade quero o beijo ainda melhor
Cheio de saudade
Quero o carinho
Quero o toque
Imersa nessa piscina de sonhos
Com o sorriso que tinha por lembrar de você
A expressão é agora neutra

3 comentários:

eu disse...

poxa...eu so vi hj enao deu tempo de tentar te ajudar...estava fora da cidade tbem....

Thais Julianne disse...

quem é você "eu"?

Assessoria AMA Neto disse...

"How happy is the blameless vestal's lot!
The world forgetting, by the world forgot
Eternal sunshine of the spotless mind!
Each pray'r accepted, and each wish resign'd
Labour and rest, that equal periods keep
"Obedient slumbers that can wake and weep;"
Desires compos'd, affections ever ev'n
Tears that delight, and sighs that waft to Heav'n
Grace shines around her with serenest beams
And whisp'ring angels prompt her golden dreams
For her th' unfading rose of Eden blooms
And wings of seraphs shed divine perfumes
For her the Spouse prepares the bridal ring
For her white virgins hymeneals sing
To sounds of heav'nly harps she dies away
And melts in visions of eternal day"

"Eloisa to Abelard" por Alexander Pope

Você sabe inglês... não tem problema.. :P