quinta-feira, novembro 15, 2007

!pela internet pode ser tudo diferente!

Pela internet eu posso vestir tudo que eu quiser
Posso ser mulher audaciosa
Posso lembrar e falar de tudo aquilo que eu já fiz
De tudo que eu sobrevivi, de tudo que eu arrependi
Pela internet eu posso me isentar de culpa e
Principalmente eu posso sorrir sem precisar sorrir
Pela internet eu posso livrar o outro de saber que minha expressão é introspectiva
Pela internet o meu silêncio é simplesmente silêncio
Não tristeza
Pela internet eu posso valorizar a vida do outro sem transparecer que eu quero atenção
Pela internet eu posso esconder minha solidão
Pela internet ninguém sabe quanto tempo eu espero
Não preciso sentir vergonha de passar o tempo
só eu mesma sei o tempo que se passa do lado de cá
a minha confusão faz companhia
a minha bagunça é imperceptível
e todo mundo pergunta como você está
com a facilidade de que você nem precisar esforçar os músculos do rosto pra parecer alguma coisa de verdade
pela internet você não vai esperar que ninguém repare que falta brilho no seu olho
(se você não espera, você não se frustra)
pela internet você não precisa se desculpar por não se sentir bem humorado
(se ninguém percebe, ninguém se ofende)
pela internet eu ligo meu msn e visto minha máscara de “agora sou legal”
(se sou legal, ninguém me julga)
pela internet nem sei se alguma coisa faz sentido
(mas não importa se faz, é só internet)
pela internet me livro de precisar assumir como estou
(como se isso pudesse ser mudado de uma hora pra outra)
pela internet me liberto de precisar ser verdadeira com os outros
(eles nem precisam saber disso)
e posso ser verdadeira comigo mesma em não me sentir tão bem assim!
(Quem sabe assim não precise responder porquê.)
Pode ser que os motivos não se justifiquem.

2 comentários:

giovanna disse...

Santa internet!

Franclim disse...

Tem uma banda que eu gosto muito.
Bad Religion.

Em uma de suas canções eles dizem:

"I love my computer
you make me feel alright
every waking hour
and every lonely night
I love my computer
for all you give to me
predictable errors and no identity
and it's never been quite so easy
I've never been quite so happy
all I need to do is click on you
and we'll be joined
in the most soul-less way
and we'll never
ever ruin each other's day
cuz when I'm through I just click
and you just go away
I love my computer
you're always in the mood
I get turned on
when I turn on you
I love my computer
you never ask for more
you can be a princess
or you can be my whore
and it's never been quite so easy
I've never been quite so happy
the world outside is so big
but it's safe in my domain
because to you
I'm just a number
and a clever screen name
all I need to do is click on you
and we'll be together for eternity
and no one is ever gonna take my love
from me because I've got security,
her password and a key"

A ferramenta se torna o meio.
O meio se torna necessidade.
E o vício, efemeridade.